Notícias
15/10/2018
Doença de Coats
Conheça os sintomas e tratamentos da Doença de Coats, doença rara que pode afetar de forma negativa a visão.
Compartilhe
/sistema/sys/arquivos/img_posts/209.jpg?w=415&h=415

Este distúrbio provoca o desenvolvimento anormal dos vasos sanguíneos que têm a função de irrigar a retina.

A doença de coats, também chamada de telangiectasia retiniana ou retinite exsudativa, é uma patologia rara e com uma causa quase desconhecida.Tudo se inicia quando os vasos sanguíneos, aqueles que irrigam a retina, mostram um mau desenvolvimento. Por conta disso, essa estrutura ocular passa a ter um acúmulo grande de líquidos, podendo até causar o deslocamento parcial ou total da retina, assim como apresentar múltiplos aneurismas, ou seja, uma dilatação anormal de vasos localizados na área.

É importante ressaltar que, normalmente, ela aparece em somente um dos olhos. E na sua grande maioria, atinge jovens do sexo masculino. Além disso, a doença também pode provocar ausência de percepção de luz em um dos olhos, assim como causar dilatação da retina e um extravasamento do soro sanguíneo para a parte de trás do olho.

Apesar de não existir um esclarecimento sobre a etiologia, associa-se a Doença de Coats ao gene NDP, resultado da deficiência de uma proteína chamada Norrin na retina em desenvolvimento. Há também hipóteses de que a causa seja um componente genético.

Sintomas

O aparecimento dos sintomas costuma ocorrer cedo, ainda na infância. O pico de incidência está entre as crianças de 6 a 8 anos. Os sintomas nas fases iniciais costumam ser esses:

  • Estrabismo;
  • Perda de visão;
  • Descolamento da retina;
  • Leucória ou “olho de gato” (quando a pupila fica branca ao invés de preta).

Já nas fases avançadas, são mais preocupantes, tais como:

  • Perda de visão profunda;
  • Manchas avermelhadas na íris (rubeosis iridis ou glaucoma neovascular);
  • Glaucoma;
  • Catarata;
  • Encolhimento do globo ocular afetado (atrofia ocular);
  • Inchaço e irritação da camada média do olho (uveítes).

Diagnóstico

Vale lembrar que o diagnóstico é essencialmente clínico, no qual deve ser feito por um oftalmologista para avaliar as estruturas oculares e observar os sintomas. Alguns dos métodos utilizados são esses:

  • Oftalmoscopia direta;
  • Angiografia fluoresceínica;
  • Ultrassonografia;
  • Biópsia por aspiração de agulha fina;
  • Tomografia computorizada;
  • Imagiologia por ressonância magnética.

Tratamento

O tratamento depende do estado em que a doença se encontra, tendo que recorrer à cirurgia em casos mais graves ou à observação periódica e uso de remédio em estágios iniciais. Abaixo estão algumas formas de tratamento:

  • Fotocoagulação;
  • Injeção de corticoides;
  • Terapia por laser;
  • Crioterapia;
  • Correcção cirúrgica do descolamento da retina;
  • Enucleação.

Atualmente, o objetivo dos pesquisadores é esclarecer a etiologia da Doença de Coats para tentar evitar a progressão da doença e cortar o mal pela raíz.

 

Se você ou um familiar seu tem alguns dos sintomas citados acima, está na hora de marcar uma consulta de rotina.

Acesse nosso formulário do site [http://institutoassadrayes.com.br/contatos] ou ligue para (48) 3029-0260.
Temos uma equipe médica experiente e atenta a todas as patologias oftalmológicas.

 

Confira a galeria da notícia
Outras Notícias