Notícias
01/04/2019
Diferenças entre Miopia, Astigmatismo e Hipermetropia
Confira no nosso artigo as principais características das doenças oftalmológicas Miopia, Astigmatismo e Hipermetropia.
Compartilhe
/sistema/sys/arquivos/img_posts/226.png?w=415&h=415

Muita gente não tem noção de quais são as diferenças entre as principais doenças oftalmológicas, Miopia, Hipermetropia e Astigmatismo. Sendo assim, explicaremos aqui as principais diferenças entre elas.

 

Astigmatismo 

O Astigmatismo é uma doença oftalmológica causada por irregularidades na superfície da córnea ou do cristalino, que fazem com que os raios de luz cheguem em pontos diferentes da retina, e que a imagem formada fique desfocada, distorcida ou deformada.

Essa doença pode afetar pessoas de qualquer faixa etária e pode dificultar a visão tanto para perto quanto para longe.

 

Alguns dos sintomas do astigmatismo são:

  • Dor de cabeça;
  • Sensação de ardor nas vistas;
  • Sonolência durante a leitura;
  • Dificuldade de acompanhar as linhas do livro;
  • Grande desconforto quando em atividades que exijam esforços visuais prolongados.

 

O astigmatismo pode ser causado por hereditariedade, lesões/traumas oculares, doenças oculares e coçar os olhos com frequência.

 

A correção do astigmatismo pode ser realizada utilizando óculos, lentes de contato ou cirurgia refrativa.


Miopia

 

A miopia ocorre quando o globo ocular é um pouco mais comprido do que o normal. Por conta disso, a imagem se forma à frente da retina.

 

O resultado da formação da imagem à frente da retina é que, as pessoas que sofrem dessa doença, têm dificuldade para enxergar de uma certa distância, o que prejudica a realização de algumas atividades como dirigir ou assistir filmes no cinema.

 

A miopia é uma das doenças oculares mais comuns, em média 22% da população mundial possui Miopia.

 

As causas para essa doença podem ser genéticas, ambientais ou ambos. No caso do fator ambiental, os principais fatores para desenvolvimento da miopia são trabalhos onde se usa muito o computador ou a realização de leituras muito longas, por longos períodos de tempo. Há inclusive pesquisas indicando que está ocorrendo um aumento nos casos de miopia em todo o mundo por conta do uso excessivo de telas cada vez menores em smartphones e outros dispositivos.

 

O tratamento mais comum para a miopia é o uso de óculos ou lentes de contato. Para um tratamento mais definitivo, a cirurgia refrativa pode ser uma opção.

 

Hipermetropia

 

Ao inverso da miopia, a hipermetropia é causada pois o globo ocular é um pouco mais curto do que o normal. Nesse caso, a imagem se forma um pouco atrás da retina.

 

Devido ao local de formação da imagem, a pessoa que possui hipermetropia, apresenta dificuldades para enxergar objetos próximos e para leitura de textos. No entanto, para grandes distâncias a visão permanece boa.

 

É comum que pessoas que utilizavam óculos para hipermetropia na infância deixem de usar na idade adulta. Isso porque, devido ao fato de que os olhos das crianças são naturalmente menores, grande parte das crianças podem apresentar sintomas de hipermetropia e conforme o crescimento a dificuldade para enxergar diminui.

 

A hipermetropia pode ter como origem uma malformação dos olhos, ou a córnea e o cristalino apresentam alterações no seu formato e apresentam alterações no seu formato.

 

Além da dificuldade para enxergar objetos próximos, fadiga ocular, dores de cabeça e dificuldades de concentração são alguns dos sintomas apresentados por quem possui hipermetropia.

 

A hipermetropia é, geralmente, corrigida com óculos ou lentes de contato. A cirurgia refrativa também é uma opção.


O diagnóstico de qualquer uma dessas doenças oculares deve ser feito por um oftalmologista.

 

Eles, em geral, são detectados em exames simples de refração que ocorrem em consultas de rotina. Não deixe de consultar um oftalmologista regularmente para detectar e tratar doenças oculares.

 

Deseja marcar uma consulta conosco?

Acesse nosso formulário do site ou ligue para (48) 3029-0260.

Outras Notícias