Notícias
28/09/2020
Cigarro e Visão: você sabia que o tabagismo pode levar a cegueira?
O artigo contém os riscos do tabagismo para a saúde ocular. Saiba mais.
Compartilhe
/sistema/sys/arquivos/img_posts/282.png?w=415&h=415

O Brasil reduziu o número de fumantes drasticamente nos últimos anos. Mas, segundo o Ministério da Saúde, em 2019, cerca de 9,8% da população brasileira ainda se declarava adepta ao tabagismo. Existem diversas doenças associadas ao fumo, que não necessariamente levam a morte, mas podem causar danos irreversíveis, como os problemas de visão. É sobre os malefícios que o cigarro causa a visão que você vai ler neste artigo.

 

Como o cigarro altera a percepção de cores

Um estudo realizado pela Rutgers University Behavioral Health Careem, dos Estados Unidos, em conjunto com a Universidade Federal da Paraíba, revelou que as pessoas que fumam em média 20 cigarros por dia podem sofrer com anomalias na visão como alteração e  até mesmo a perda do reconhecimento das cores, assim como a percepção de contrastes nas imagens. Nessa pesquisa, os pacientes que afirmaram ter fumado menos de 15 cigarros durante a vida apresentaram pouca ou nenhuma alteração, ou seja, quanto menor a exposição, menor as consequências do cigarro a visão. Esse tipo de anomalia muitas vezes não é percebida no dia a dia ou com testes simples, por isso é sempre recomendado que as visitas ao oftalmologista sejam regulares, somente um profissional pode avaliar cada caso.

 

O malefício do tabagismo aos olhos 

Alguns especialistas também relatam que, devido a oxidação acelerada que o cigarro causa a retina, a degeneração macular desse componente ocular  pode ser precipitada drasticamente pelo fumo. Essa anomalia é relatada em pessoas saudáveis somente na velhice, o que, com os fumantes, pode ocorrer bem antes.


Outra doença bastante temida quando o assunto é visão, é a catarata. E o tabagismo está também ligado a aparição da doença. Segundo a SPO, Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, o vício pode dobrar o risco de desenvolvimento da anomalia. Isso porque as substâncias químicas presentes no cigarro alteram o metabolismo do cristalino, região responsável por focar a luz da íris sob a retina.

 

Fumantes passivos também correm riscos de cegueira

O fumante ativo está diretamente ligado aos riscos mais óbvios do tabagismo, no entanto, fumantes passivos também estão suscetíveis a todos os riscos citados anteriormente. 

Apenas um terço da fumaça gerada pelo tabagismo é tragada pelo fumante, enquanto dois terços são exalados para o ambiente. Todos que estão a volta também estão expostos a esta fumaça. Companheiros, colegas de trabalho e principalmente crianças podem ser afetados pelos males que o tabagismo traz. 

É preciso lembrar que há componentes tóxicos e cancerígenos na fumaça do tabaco que inclui cerca de 4 mil compostos, sendo mais de 200 deles tóxicos e 40 cancerígenos.

 

Procure atendimento especializado
Se você ainda faz parte dos 9,8% dos brasileiros que possuem o hábito de fumar, deve procurar um oftalmologista imediatamente para poder avaliar a situação clínica dos olhos.

O Instituto da Visão Assad Rayes é especializado em oftalmologia desde 1996 e a partir de 2005 entrou no mercado como hospital especializado. Conta também com uma equipe técnica pronta para realizar sua avaliação e tratamento. 

Acesse nosso formulário do site ou ligue para (48) 3029-0260.

Outras Notícias