Notícias
04/03/2021
O que não fazer para tratar terçol
Quando se trata de terçol, receitas milagrosas podem aparecer, mas cuidado, essas podem piorar a situação! Saiba neste artigo o que não fazer para tratar terçol.
Compartilhe
/sistema/sys/arquivos/img_posts/284.png?w=415&h=415

Quando surge a incomodação com o terçol, podem aparecer dúvidas sobre o que fazer. Mesmo com o mal estar, deve-se tomar cuidado com as automedicações que podem fazer mais mal do que bem. 

 

Acompanhada de inchaço e vermelhidão, a doença incomoda e pode ser facilmente confundida com o calázio, entenda as diferenças entre Terçol e Calázio aqui. Para saber o que é terçol, acesse nosso artigo!

 

Para saber mais sobre o que você deve evitar no tratamento do terçol, veja no artigo:

- Como evitar a infecção bacteriana ocular;

- Complicações do terçol;

- O que não fazer para tratar o terçol;

- A importância do acompanhamento médico.

 

Como evitar a infecção bacteriana ocular
Por se tratar de uma infecção que na maioria dos casos é leve, os cuidados para evitá-la são básicos, como manter as mãos sempre limpas e higienizadas, evitando a transmissão da bactéria aos olhos.

 

Outro cuidado que pode ser tomado é a higienização regular do rosto. Para isso, utilize sempre produtos testados oftalmologicamente, que tenham o pH adequado para evitar irritações que podem deixar a região ocular mais suscetível a infecções.

 

Porém, o terçol também pode ser ocasionado pelo mau funcionamento das glândulas e excesso de oleosidade nas pálpebras. Dessa forma, mesmo com os cuidados, o terçol pode vir a se desenvolver e deve ser tratado com um médico.

 

Complicações do terçol

O terçol, em casos mais comuns, costuma desaparecer entre 2 a 3 dias.  Depois desse período, se persistirem os sintomas, é importante que entre em contato com um especialista para a avaliação.

 

Em caso de persistência dos sintomas, o problema pode ocasionar complicações, como:

- Necrose do tecido da região;

- Ocasionar a celulite (inflamação nos olhos);

- Espalhamento da infecção pelo rosto (deixando a região com dor, inchaço e vermelhidão).

 

Além disso, em casos mais raros, se o terçol aparecer recorrentemente ou, até mesmo, em caso de mais de um terçol ativo ao mesmo tempo, há risco de prejuízo à córnea, podendo causar astigmatismo efêmero, porém esses casos são bastante raros.  

 

Mas afinal, o que não fazer para tratar o terçol?

A primeira e mais básica dica é: nunca se automedique. Como já dito, o terçol na maior parte dos casos não é agressivo, porém existem situações onde ocorrem complicações. 

 

Por isso, a segunda dica é: não tente tratamentos caseiros, procure sempre a orientação do médico oftalmologista em casos de anormalidades nos olhos, eles estarão aptos para dar o diagnóstico e um tratamento mais apropriado para a ocorrência. 

 

Os únicos cuidados liberados em casos de terçol são:

  • Manter o local da infecção limpo
  • Fazer compressa de água morna durante 5 minutos para diminuir o inchaço

 

Evite utilizar produtos que não foram receitados por médicos da área. Isso inclui camomila, babosa, cravos-da-índia ou qualquer outra substância sugerida.

 

A importância do acompanhamento médico

Mesmo em problemas leves e comuns, deve-se realizar tratamentos adequados. Por isso, em caso de persistência ou alta recorrência do terçol, o acompanhamento com um médico oftalmologista é essencial.

 

Procure os melhores especialistas do Instituto Assad Rayes

Desde 1996 o Instituto Assad Rayes conta  com os melhores médicos oftalmologistas do mercado que estão preparados para atender você e sua família.

 

Acesse nosso formulário e marque sua consulta agora mesmo!

 

Outras Notícias