Notícias
30/04/2020
Retinopatia Hipertensiva: entenda como a pressão alta pode comprometer sua visão
O artigo contém informações sobre como identificar, quais são as causas, como prevenir e também como tratar a doença de retinopatia hipertensiva.
Compartilhe
/sistema/sys/arquivos/img_posts/268.png?w=415&h=415

Você sabia que cerca de 25% da população brasileira sofre de hipertensão arterial?

Segundo um relatório divulgado em 2019 pela Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL), em 27 capitais em que o levantamento foi feito, a frequência de diagnóstico médico de hipertensão arterial foi de 24,7% da população.

A doença, popularmente conhecida como pressão alta, afeta o sistema cardiovascular e quando não controlada por meio de tratamento, pode ocasionar diversas consequências para o paciente, afetando inclusive a saúde ocular, como é o caso da Retinopatia Hipertensiva.

Mas afinal, o que é retinopatia hipertensiva?

É a doença decorrida do aumento da pressão arterial nos vasos sanguíneos responsáveis por irrigar e drenar a retina.

Esse aumento da pressão arterial pode causar consequências severas à saúde visual, como descolamento de retina, hemorragia vítrea, oclusão venosa da retina (obstrução de veias que irrigam a retina), catarata e até o glaucoma.

A retinopatia hipertensiva pode se manifestar de duas maneiras: a forma crônica (decorrente da elevação persistente da pressão arterial sistêmica) e aguda (secundária à elevação abrupta da pressão arterial). 

Quais os sintomas?

Assim como a própria hipertensão arterial, a sua manifestação ocular também é silenciosa. Em suas fases iniciais, a retinopatia hipertensiva não apresenta sintomas, o que dificulta seu diagnóstico.

Em estágios mais avançados da doença, ela pode causar a visão turva, cefaléia, fotofobia (sensibilidade à luz) e perda da acuidade visual.

Qual é o tratamento?

O tratamento da Retinopatia Hipertensiva depende do estágio de evolução da doença. Por vezes é necessário controlar as complicações geradas pelo agravamento da retinopatia, como as doenças decorrentes mencionadas anteriormente. 

De maneira geral, o tratamento é feito com o controle da pressão arterial, e monitoramento de comorbidades que podem potencializar os malefícios da pressão alta, como diabetes, a obesidade e o tabagismo.

A importância do diagnóstico precoce 

O diagnóstico de Retinopatia Hipertensiva é feito através da fundoscopia, também chamado de exame de fundo de olho. Ele tem esse nome justamente porque avalia a parte posterior do globo ocular, onde pode ser analisado o nervo óptico,as principais veias e artérias, bem como a parte central da retina, chamada de mácula. 

A fundoscopia permite identificar não apenas alterações na saúde ocular mas também disfunções de diversos órgãos do corpo, sendo responsável pelo apontamento de doenças como diabetes, sífilis, linfomas e até toxoplasmose, além de problemas oftalmológicos como a degeneração macular relacionada à idade (DRMI) e o glaucoma.

Por isso, realiza exames oftalmológicos periodicamente é essencial para o diagnóstico precoce de diversas doenças, o que possibilita uma eficácia e assertividade muito maior no tratamento.

Instituto da Visão Assad Rayes segue atendendo com os devidos cuidados de higiene

Desde o retorno das atividades do Instituto da Visão Assad Rayes, no dia 6 de abril de 2020, intensificamos nosso protocolo de limpeza e combate ao Novo Coronavírus, seguindo as orientações da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO). 

Confira todas as medidas de prevenção ao vírus neste link.

Se precisar de nós, estamos aqui!

Para agendar uma consulta acesse nosso formulário do site ou ligue para (48) 3029-0260.

 

 

Outras Notícias