Notícias
10/06/2020
Você sabia que conjuntivite pode ser um dos sintomas do novo Coronavírus?
O artigo traz detalhes sobre a descoberta de uma manifestação ocular da COVID-19, bem como o que fazer para prevenir o contágio.
Compartilhe
/sistema/sys/arquivos/img_posts/272.png?w=415&h=415

Assim como o número de casos, número de vítimas e dados sobre a disseminação do novo Coronavírus são atualizadas dia após dia, características biológicas do vírus e também novas informações sobre a doença que ele causa, a COVID-19, vêm sendo descobertas e divulgadas constantemente, a fim de auxiliar no combate à doença, até então, misteriosa.

Recentemente, a Academia Americana de Oftalmologia (AAO) fez um alerta à comunidade sobre a descoberta de um novo sintoma possível para a COVID-19: a conjuntivite.

Essa revelação foi baseada em três estudos distintos que convergiram no resultado ao analisar pacientes com conjuntivite que foram diagnosticados com a COVID-19. 

Assim, foi constatado que o novo Coronavírus pode ter manifestações oculares entre os sintomas da contaminação, principalmente nos casos em que a doença se encontra em um quadro mais grave, apesar de não ser um dos sintomas mais comuns entre os infectados.

Veja a seguir como identificar esse sintoma e que cuidados você deve ter se for diagnosticado com conjuntivite durante a pandemia do novo Coronavírus.

O que é conjuntivite?

A conjuntivite é uma inflamação na membrana conjuntiva, que recobre a parte branca dos olhos protegendo também o interior da pálpebra. Mas essa inflamação pode acontecer por diferentes motivos:

  • Conjuntivite alérgica: causada por fatores externos que são responsáveis por uma irritação no globo ocular: como fumaça, poeira e ácaros, por exemplo. Não é contagiosa, visto que não é originada por um agente biológico.
  • Conjuntivite tóxica: assim como a conjuntivite alérgica, a conjuntivite tóxica também é provocada por um agente externo, contudo essa ocorre devido a um contato mais direto com um produto químico, como venenos, produtos de limpeza e até mesmo xampus. Nesses casos, deve-se procurar um médico oftalmologista com urgência para iniciar o tratamento, visto que algumas intoxicações podem causar danos irreparáveis à visão. A conjuntivite tóxica também não é transmissível.
  • Conjuntivite bacteriana: causada por uma bactéria, a conjuntivite bacteriana costuma gerar quadros mais sérios em relação à conjuntivite viral (que falaremos em seguida), porém diferentemente da conjuntivite causada por um vírus, essa apresenta menor taxa de transmissibilidade. A conjuntivite bacteriana causa secreção de pus, inchaço coceira e vermelhidão.

 

  • Conjuntivite viral: nesses casos um vírus é o responsável pela inflamação na membrana conjuntiva. Essa é a manifestação mais comum da doença e também a forma com maior taxa de contágio, já que os vírus que causam conjuntivite podem ser transmitidos através de gotículas, por meio do contato interpessoal, tosse ou espirro. Essa informação te parece familiar? Exatamente! A conjuntivite viral pode ser causada pelo novo Coronavírus, bem como outros vírus como o vírus da gripe, Influenza, por exemplo.

Como identificar e qual o tratamento?

Os principais sintomas de conjuntivite são:

  • Olhos vermelhos e lacrimejantes;
  • Pálpebras inchadas;
  • Sensação de areia ou de ciscos nos olhos;
  • Secreção;
  • Coceira.

Assim que identificados alguns dos sintomas acima mencionados, a recomendação é procurar um médico oftalmologista para prosseguir com o tratamento. Como falado anteriormente, dependendo do agente causador da conjuntivite, essa doença pode evoluir de uma simples irritação ocular para um problema mais sério, e em alguns casos irreversíveis, à visão.

Conjuntivite durante a pandemia: o que fazer?

Diante da descoberta de que a conjuntivite pode ser um dos sintomas da COVID-19, nos casos mais graves da doença, é de suma importância que indivíduos diagnosticados com conjuntivite estejam atentos ao aparecimento dos sintomas mais comuns do novo Coronavírus, como tosse seca, febre alta e falta de ar, mesmo após o surgimento da infecção ocular.

Além disso, algumas medidas de prevenção ao novo Coronavírus também ajudam a prevenir a conjuntivite, entre elas:

  • Lavar as mãos com frequência;
  • Não tocar a mucosa dos olhos;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, principalmente aqueles que têm contato com os olhos, como produtos de beleza, por exemplo;
  • Evitar aglomerações.

Cuidado com as lentes de contato!

Para além das recomendações gerais para o combate do novo Coronavírus, especialistas também indicam que quem utiliza regularmente lentes de contato redobre os cuidados na hora de higienizar esse material.

Isso porque a manutenção das lentes de contato exigem o manuseio direto, fazendo com que as lentes sejam uma possível porta de entrada para o novo Coronavírus.

Não deixe de cuidar da sua saúde oftalmológica durante a pandemia

Desde o retorno das atividades do Instituto da Visão Assad Rayes, no dia 6 de abril de 2020, intensificamos nosso protocolo de limpeza e combate ao Novo Coronavírus, seguindo as orientações da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO).

Confira todas as medidas de prevenção ao vírus neste link.

Para agendar uma consulta acesse nosso formulário do site ou ligue para (48) 3029-0260.

 

 







 

 

Outras Notícias